83, Rue de Rennes 75006

L'incurie de la toilette est un suicide moral.

samedi, janvier 27, 2007

Don't change your hair for me

Incrível a repercussão do post anterior. Obrigada a todos pelas ligações, mensagens, telegramas e scraps de compaixão (e curiosidade). Por um instante cheguei a ficar comovida, mas depois que o João Manuel, de tão surpreso, me deu "parabéns", cheguei a questionar a minha imagem! Mas enfim, o importante é que eu desencalhei, não é mesmo? Acreditem, queridos leitores: superei o caso Hyomin.

Eu havia chegado num estágio de encalhação em que só via casais. Pensem bem. Se no primeiro mês em Paris eu já havia purchased “Trouver un Jules à Paris”, imaginem a situação cinco meses depois... Na rua, no cinema, no metro, eles estavam partout e contra mim; cheguei a cogitar que se tratava de um complô. Para me defender, julgava pessoas comprometidas como seres inferiores. “Ahhh, tem namorado? Tsc, tsc, tsc”, eu dizia com uma das sobrancelhas levantada. Meus pobres amigos cansaram de discutir e rediscutir o meu caso, bolar teorias mirabolantes e lamentar a difícil situação de se ser solteiro por muito tempo.

Óbvio que eu nunca levava em consideração pequenos detalhes. Em primeiro lugar, eu mal saio de casa e, quando saio, se trata quase sempre de lugares em que a faixa etária média é de 70 anos. Em segundo lugar, eu nunca tomo iniciativa. Don’t get me wrong, leitores, não considero mulheres de iniciativa como não sendo “de família”. Mas, cá entre nós, esse momento do approach é awkward porque você tem que dizer algo inteligente. Não dá para simplesmente chegar e se apresentar, fazer algum elogio esdrúxulo, comentar o tempo. E as chances d’eu falar uma besteira sem tamanho num momento em que se espera algo inteligente é de 99%. É por isso que sempre prefiro esperar que o outro dê o primeiro passo. E é por isso também, claro, que eu sempre fico encalhada.

A soirée de fin de semestre da Sciences Po não seria diferente. Entraria na festa cheia de esperanças (a última que morre) e sairia cheia de amargura. Pelos menos estava com amigos queridos que não via há tempos, pensei, a música estava sensacional e, entre uma vodka tônica e outra, comecei a deixar o meu lado dancing queen aflorar. Eu não poderia imaginar que dali a alguns segundos tudo iria mudar.

Avistei um cara barbudo dançando no mesmo estilo que eu, algo entre Isadora Duncan e os carinhas de "Praise you". Eu me identifiquei. Foi tão espontâneo, que meu superego nem se pronunciou. No dia seguinte, relembrando esse fato inédito na minha vida de dar o primeiro passo, eu lembrei porque nunca o havia feito até então. Eu disse essas mesmas exatas palavras que estou prestes a digitar agora, caros leitores. Vocês estão sentados? Eu realmente falei isso, sem tirar nem pôr, e, mais, com um sotaque de inglês britânico: "Are you dancing alone?".

Após 3 segundos de silêncio, sem entender direito o que estava acontecendo, escuto um tímido "yes" e nós já estávamos dançando.

13 Comments:

Blogger Chimaera said...

He was not dancing alone my friend, he was just waiting for his muse to descend to the dancefloor and wrap him in her sweet perfume.

Kisses

3:43 AM  
Anonymous Minas de Ouro said...

:) Bebel é mto mais honesta do que eu!!

Boa Bebel!! Soube usar o que tem de melhor: o approach dançante!!!

Bjs!

4:19 AM  
Anonymous inês said...

ai, ai...

10:18 AM  
Blogger carolina said...

oun oun oun!

eu AMO casais bonitinhos!

11:35 AM  
Anonymous Le Wahmann said...

Que fofa vc Bebel !!!

1:38 PM  
Anonymous carol salomao said...

Now you´re dancing together the melody of love.
Desafio alguem escrever algo mais cafona!

2:32 PM  
Blogger Julieta said...

me lembra a Madeleine cantando "Dance me to the end of love". Ou o Los Hermanos em "quero dançar com outro par pra variar amor". Darling, vc me inspira. Vou seguir seus passos, literal e metaforicamente.

5:13 PM  
Anonymous Mr.Gorgeous said...

Mas e a faixa etária dos amigos do Brasil que vão te visitar ? É 70 também ? Ho ho ho !

12:36 AM  
Blogger Manuel said...

Bebel, grava essa sua cantada histórica em mp3 e dispõe ela no seu blog. Ler esse seu post sem ouvir seu sotaque britânico é a mesma coisa que assistir o filme Perfume e não sentir os cheiros.

Estou orgulhoso de você. Sua cantada foi simples e caceteira, um sambarilove mór!

12:35 AM  
Anonymous Gabi said...

(isso tá escrito desde semana passada, não conseguimos, eu e Lucas, postar na hora)

que lindaaa!! =)
pois vou te dizer algo sobre sua imagem comentei com o Lucas, Bebel agora está apaixonada, e sabe o que ele disse?
Por quem, por Alain Proust Ou por Baudelaire?
Eu (risos compreensivos) Não, dessa vez foi por alguém mais mundano...
L Ahhh então Sócrates?

;)
Nada como um superego calado pra gente ser feliz.
Amei a historinha, em conteúdo e forma.
Et je n'ai pas oublié de ta lettre.
(que será em português, CLARO)
Beijinhos.

6:52 PM  
Blogger Velma Kelly said...

alain proust?!?! se é p ser proust, prefiro o marcel!!!!

6:57 PM  
Blogger lala said...

to devagar mesmo...
mas to adorando o clima love is in the air do teu blogue!!!

3:13 PM  
Anonymous Gabi said...

lalalala

4:33 PM  

Enregistrer un commentaire

<< Home